Curiosidade: “Não me Incomode” Traduzido do inglês-Emak-Bakia é um filme de 1926 dirigido por Man Ray. Legendado como um cinépoéme, ele apresenta muitas técnicas usadas por Man Ray em sua fotografia,incluindo Rayographs, dupla exposição, foco suave e características ambíguas.

Ficha técnica:

Direção: Man Ray

Música composta por: Django Reinhardt

Cinematografia: Man Ray

Roteiro: Man Ray

Duração: 16mim

Man Ray é o pai do ‘surreal’, nasceu em 1890 na Filadélfia e foi um grande pintor, cineasta e fotografo. Ray fazia parte do movimento “vanguardista” no campo do dadaísmo, arte composta por criações sem noções sem pé nem cabeça.

“Emak Bakia” é impossível de se contar uma sinopse, já que sua criação vem de origem do dadaísmo, sem começo, meio e fim. Porém o filme estabelece alguns elementos no roteiro que podemos citar, como por exemplo; o tempo inteiro os personagens estão dormindo sempre sonhando com o ‘surreal’,mas de vez em quando o sonho não é mais surreal e passa a ser um momento totalmente comum! Com o uso de carros e pessoas.

Man Ray era visto sempre à frente do seu tempo, um gênio, um transformador e com certeza um inovador. O seu domínio sobre a arte ‘surreal’ e o conceito de ‘dadaísmo’ o fazem criar um aspecto no cinema    que foge de qualquer homogenia, pois o seu “cinema” não segue uma lei, não apresenta conflito para o roteiro, seu filme é simplesmente um “sonho” sem razão.