https://cinemanickelodeons.files.wordpress.com/2019/03/metropolis-2.jpg

Fritz Lang foi um gênio e um visionário do cinema ‘alemão’, um cineasta, um realizador, argumentista e produtor que nasceu na Áustria em 1890. Sua visão futurista e sua onda do expressionismo alemão foi o que abriu as portas para este diretor fantástico! ‘Metrópolis’ (1927) foi um filme bem futurista, que pensava ir além, que deixou toda a Alemanha curiosa! (Mas sua bilheteria foi um fracasso, pelo filme ser controverso) até mesmo Hitler o glorificou, o que rendeu a Fritz Lang um convite em 1933 para ser chefe do cinema nazista, mas ele logo fugiu para os estados unidos, onde levou toda sua arte como por exemplo; O Noir e o terror/suspense.

Sinopse: Em 2026 (100 anos após a produção do filme), ricos industriais governam a grande cidade de Metrópolis a partir de arranha-céus, enquanto trabalhadores subterrâneos trabalham constantemente para operar as máquinas que fornecem energia à cidade. O dono de Metrópolis é Joh Fredersen, cujo filho Freder passa o tempo praticando esportes e frequentando um parque de diversão. Freder é interrompido pela chegada de uma jovem mulher chamada Maria, que trouxe um grupo de crianças dos trabalhadores para ver o estilo de vida privilegiado dos ricos.

Acompanhe abaixo 4 motivos para ver o filme metrópolis:

O melhor filme do expressionismo alemão

https://cinemanickelodeons.files.wordpress.com/2019/03/filmes-expressionismo-alemao-702x459.jpg

O expressionismo alemão nasceu em 1918-1933 quando acabou a 1º guerra mundial, a Europa foi devastada pela guerra e a Alemanha foi forçada a assinar o tratado de versalhes. Com a derrota da Alemanha os ‘cidadãos alemães’ se sentiram arrasados e depressivos em meio a outros países, logo essa tristeza afetou a ARTE! E o cinema foi o mais afetado!

Filmes como o gabinete do DR.Caligari (1920) abriu uma nova onda no cinema alemão, o ‘Expressionismo’, o público não entendia muito bem o que via na tela, mas era uma mescla de terror, suspense, objetos fálicos, plano de fundo teatral (Porém totalmente distorcidos) era tudo uma bagunça bem arrumada! Enfim… comentarei mais sobre o ‘Expressionismo alemão’ em outro tópico.

‘Metrópolis’ nasceu no auge do expressionismo alemão, além de ser um filme futurista ele traduziu a revolução, a reconquista e a junção dos contrapontos. Mesmo sendo um filme de ficção cientifica ele retratou a irrealidade com a realidade do público alemão, trazendo como elemento todas as características do ‘expressionismo alemão’.

Super futurista para a época

fritz langFritz Lang costumava trabalhar muito com elementos de ‘formato geométrico’ em seus filmes, em ‘Metrópolis’ não é diferente! A cidade retratada na trama é uma civilização de 2026, que traz vários arranha-céus, metrôs, aviões e pistas sobre os céus. Agora imagina qual foi a reação do público em 1927? Exatamente! Fritz Lang era um visionário e trazia um prelúdio sobre a Alemanha.

O homem vs a máquina  

Eu diria que Fritz Lang viajou para 2026 e depois voltou para 1926, onde produziu ‘Metrópolis’. No filme ele retrata a vida de operários sugados por uma indústria vital que só os consomem e os escraviza. Enquanto do outro lado existe a cidade da superfície, bela, tecnológica, cheia de ricos e poderosos!  O tempo todo o roteiro deste filme mostra a difícil vida dos ‘OPERÁRIOS’, controlados pelas máquinas e por um magnata na cidade de metrópolis. E digo mais! O Fritz Lang ainda brinca com a criação de um robô,  chamado Hell! Criação do cientista C.A.Rotwang.

 

A geometria do absurdo e o contraste forte

https://cinemanickelodeons.files.wordpress.com/2019/03/metropolis-3.jpg

O expressionismo alemão teve uma característica fortíssima em cena! A maquiagem, exatamente a maquiagem!  Ela era extremamente BRANCA e cheia de pó, tudo isso para deixar o rosto do ator o mais visível possível em cena. Além de deixar ‘pálpebras’ escuras (Trabalhando assim o medo, o suspense e o desespero) e isso não era por acaso, simplesmente traduzia o que os alemães eram naquela época.

Já a geometria do absurdo se refere as formas geométricas em cena, alguns elementos fálicos, distorcidos e que trazia prédios e outros objetos irreais. Portanto, ‘Metrópolis’ é o maior expoente do expressionismo alemão, é simplesmente irreal! Assista abaixo o filme completo: