brightburn_ver2

estrelas

Estreou nesta quinta-feira (23) a mais nova produção de James Gunn, dirigida por David Yarovsky (Guardiões da galáxia) e distribuído pela Sony pictures. ‘Brightburn’ é um personagem baseado no super homem, porém, totalmente demoníaco e sombrio.

Sinopse: Quando uma criança alienígena (Jackson Dunn) cai no terreno de um casal da parte rural dos Estados Unidos, eles decidem criar o menino como seu filho. Porém, ao começar a descobrir seus poderes, ao invés de se tornar um herói para a humanidade, ele passa a aterrorizar a pequena cidade onde vive, se tornando uma força obscura na Terra.

Achou essa história muito parecida com a do Smallville? Exatamente! Acertou! O bebê cai no celeiro do casal apaixonado… Vive uma vida pacata no interior dos estados unidos e descobre os seus poderes aos poucos. Porém, essa história é contada de forma sombria e com um arco dramático de filme de terror, enfim, o produtor James Gunn por incrível que pareça não teve nenhum problema com a DC (Por enquanto), fiquei muito triste em saber que James Gunn era o produtor desta obra, já que falta mesmo é originalidade! Pegar um personagem já existente e mudar a história dele é muito fácil!

O roteiro deste filme é totalmente broxante! ‘Brightburn – filho das trevas’ fica em cima do muro, ao mesmo tempo em que trabalha a narrativa de um trash (Expondo as viradas emocionais e trabalhando com os sustos), também por outro lado apresenta uma história de vilão (Que é voltado ao formalismo de um filme de super-herói), qual é a sensação que passa no espectador? – Nossa que chato! É o super man maligno.

Esse argumento realmente não funcionou! Apesar do filme ter algumas cenas bem pitorescas e sangrentas… Tudo não passa de uma encenação mal sucedida do ator Jackson Dunn. Enfim, me desculpem mas falta originalidade sim! Enfim, não existe filme ruim ou bom 🙂 existe gosto! E gosto não se discute. Fique a vontade para ver o filme nos cinemas.