mon-inconnue-poster.jpg

estrelas-amarelas-da-avaliação-de-produto-ilustração-do-vetor-isoladas-no-branco-110507089

O festival ‘varilux de cinema’ segue firme até o dia 19 de junho em 78 cidades do Brasil.  Hoje em homenagem ao dia dos namorados, vamos compartilhar nossa experiência com o filme ‘Amor à segunda vista'(Mon Iconnue), por Hugo Gélin (Uma família de dois) e distribuído pela Bom Film.

Sinopse: Raphaël (François Civil) é um escritor famoso reconhecido mundialmente, sua mulher Olívia (Joséphine Japy) é uma pianista, logo os dois caem nas mesmices de qualquer casal, o que deixa Olívia extremamente carente e chateada com a situação. Ao amanhecer Raphaël acorda em outra dimensão, onde ele não é casado com Olívia.

Screenshot_2019-06-12-23-04-54-875_com.adorocinema.android

Amor à segunda vista é uma comédia francesa que tenta desmistificar o desfecho das clássicas comédias românticas, a pergunta é: O que difere uma comédia romântica francesa de uma americana? Apesar do filme ser bem simples e trazer as mesmas funções (Que os americanos), o que o torna sensível ao ponto de criar um choque (de emoção) no espectador?

screenshot_2019-06-12-23-04-36-807_com.adorocinema.android.png

Talvez a resposta esteja na maneira de ser contada, a história é simples! Porém, o cinema francês traz todo um legado dos filmes “românticos”, o ‘Cinema d’art’ cria uma beleza mediúnica neste longa.   O cinema francês age de forma explícita enquanto a comédia norte-americana age de forma ‘invisível’ (Transparecendo somente a história).

Enfim, ‘Amor à segunda vista’ é a melhor opção para ver no dias dos namorados, com certeza desempenha; comoção, sensibilidade extrema, um desfecho diferente do esperado e a união de uma bela comédia francesa. Que assim seja! Minha dica é: Assista ao filme com a amada e se deixe levar pela história de empatia (Com certeza você vai sentir uma afinidade com o protagonista) e ao final? Termine com um belo beijo francês.