(Essa análise não é um TCC, é somente um exercício da análise cinematográfica)

57dd5f0c0db4d07ddf5d3156ed03e152.jpg

Breve Ficha técnica

Título original: Abril Despedaçado

Ano produção: 2001

Dirigido por: Walter Salles

Duração: 95 minutos

Classificação: 12 – Não recomendado para menores de 12 anos

Gênero:   

Drama Nacional

Países de Origem   

Brasil

França

Suíça

Contexto histórico do filme

Abril Despedaçado é um filme suíço-franco-brasileiro de 2001, dirigido por Walter Salles e baseado no romance Prilli i Thyer de Ismail Kadare, adaptado por Karim Aïnouz.[1]

Foi esse filme que deu visibilidade internacional para o ator Rodrigo Santoro e lhe trouxe convites para filmar fora do Brasil

Tonho representa o círculo viciante da vida dos “agricultores brasileiros”, trabalho e mais trabalho, onde tudo se limita a um raio de poucos quilômetros. A liberdade de Tonho é de fato a liberdade do trabalhador brasileiro.

Os círculos impostos no filme representam o “círculo vicioso da rotina”.

Os três ATO

Nesta parte irei envolver alguns conceitos de “roteiro” criado por Syd Field, chamado de “paradigma”. Onde um roteiro cinematográfico deve conter começo, meio e fim, ou seja, primeiro ato (apresentação), segundo ato (desenvolvimento ou confrontamento) e terceiro ato (solução).

ATO I Neste item devemos fazer a apresentação do personagem, ambiente, região, espaço etc

Em abril de 1910, na geografia desértica do sertão brasileiro, uma camisa manchada de sangue balança com o vento. Tonho, filho do meio da família Breves, é impelido pelo pai a vingar a morte do seu irmão mais velho, vítima de uma luta ancestral entre famílias pela posse da terra.

Ato II Neste item cabe colocar o “desenvolvimento” do conflito (ou em outras palavras… Objetivo, confrontação etc). A história começa a dar liga neste instante, essa parte é o que se designa de MEIO.

Se cumprir sua missão, Tonho (Rodrigo Santoro) sabe que sua vida ficará partida em dois: os 20 anos que ele já viveu, e o pouco tempo que lhe restará para viver. Ele será então perseguido por um membro da família rival, como dita o código da vingança da região. Angustiado pela perspectiva da morte e instigado pelo seu irmão menor, Pacu (Ravi Ramos), Tonho começa a questionar a lógica da violência e da tradição. É quando dois artistas de um pequeno circo itinerante cruzam o seu caminho.

ATO III Cabe aqui colocar a premissa (moral), solução e desencadeamento da história, ou seja, o FIM 

Tonho sai de sua humilde cidade e vai por uma trupe com o circo e sua futura crash. Ao voltar ele se depara com o contentamento de seu pai e mãe, porém, ele sabe que terá só mais um dia de vida. Numa noite qualquer Pacu se sacrifica no lugar de Tonho, o que revela uma tristeza insolente por parte da família. Enlouquecido pela beleza da menina do circo ele se despede de seu irmão (já morto) e vai ao seu encontro, ou seja a liberdade. 

Clímax + Desfecho

O levantar de Tonho ao som do “relâmpago” é o acender de uma situação de risco, seu irmão mais novo acaba de ser morto e o ponto de giro é ascendente e leva sua emoção ao extremo, na qual ele explode de liberdade, ou seja, foda-se a “lei” da família… A partir daí  sabemos que ele não vingará a morte de mais ninguém. 

Tese assim como um TCC, uma análise crítica também possui uma “Tese” a ser defendida (inclusive com evidências!), Cabe aqui colocarmos o “elemento” dominante do filme. E como sabemos? Basta responder-mos as seguintes perguntas; Qual item mais se repete no filme? Ele é físico? Estrutural? Psicológico? O que é o mais importante neste longa-metragem? 

Enfim, para mim o elemento dominante é o “moinho de cana”, ou seja, toda a estrutura de círculos em volta do filme. O moinho funciona com roldanas, os quadros da parede da casa de Tonho são círculos, o voar da menina do circo é em forma de círculo… E o tempo tempo o “elemento dominante” (círculo) é apresentado na história.

Os três eixos

fotorabrildespedacado

Para exemplificar ainda mais a tese vale a pena trabalhar em cima dos 3 eixos, ou seja; eixo sonoro, eixo plástico e eixo dramático e que diabos é isso?

Vou explicar …. O eixo sonoro seria a concepção da banda sonora, como a trilha sonora reforça a minha tese? 

O eixo plástico é uma análise externa do filme, ou seja, a leitura do tripé imagético pelo menos…. Direção de cena, direção de arte e direção de fotografia. Como esses itens contribui para a minha tese? 

O eixo dramático é basicamente a atuação dos personagens, também é a construção dos personagens em torno da tese.

Eixo Sonoro: Vale ressaltar que o compositor musical da vez foi o “Antônio Pinto”, também compositor (criador da banda sonora) de filmes como chacrinha e o menino que descobriu o vento. Neste item sabemos que Antônio trabalhou em cima do gênero “drama”, sua intenção foi criar um “score” (música original) voltada ao teor “dramático”, pensando também tema da liberdade… O tempo todo você verá o Score trabalhar com muita repetição, ou seja, o nosso círculo vicioso entra em questão, o que mostra a tristeza da situação. 

Eixo plástico: (Aqui serei breve… Mas vale a pena se aprofundar). O nosso sertão seco constrói uma direção de arte aprofundada no concept art; ou seja, ambiente seco, roupas secas e sempre com tons claros, cores do deserto. Esse é o nosso deserto!  

A direção se sobressai com planos simples mais singelos e sempre dando enfoque nos travellings, movimentos rápidos e lentos…. 

A direção de fotografia é sagaz ao mostrar sua habilidade em retratar a vida no sertão, ambiente com pouca luz (1910) e claro como fogo no período da manhã. 

Esses três itens é o que mais contribuem para a construção da tese, sem elas nada seria possível. O nosso círculo da rotina é construído com o encadeamento deste tripé imagético.

Eixo dramático: A atuação de Rodrigo Santoro é passiva até certo ponto, a partir do momento em que o ponto de giro aparece (A ruptura dos paradigmas, que é a cena do boi parando de trabalhar e Tonho indo embora) Tudo se rompe. O personagem demonstra ser quieto mais 100% expressivo (Rodrigo Santoro é demais!), A liberdade é traduzida como um “expressionismo”. 

Evidências (Neste item podemos incluir prints, cenas e até longos trechos, tudo para defender a tese escolhida).

Imagens

abril-despedacado.jpeg

(Serei breve, mas vale a pena se aprofundar ainda mais)

Como você pode ver, cada plano representa um elemento dominante geométrico, o círculo. Tudo é baseado no círculo viciante que é imposto por leis e dogmas de famílias. Se o círculo não for quebrado a liberdade sempre será presa, pois um “círculo” nunca tem fim. 

Considerações finais

Portanto, “Abril Despedaçado” é o conjunto da vida do trabalhador rural do ano de 1910, também é o falecimento da liberdade financeira, social e trabalhadora.   A partir do momento em que os dogmas e a falta de expressão são quebrados….Acontece a revolução industrial no Brasil, Tonho (Que é nós) reage e dá aDeus a essa vida medíocre e receosa, ele vive um eterno amor e provavelmente uma vida financeira exemplar. Viva a liberdade!

Enfim, essa pequena análise é a “Base” da Crítica cinematográfica. A tese poderia ser qualquer uma, podíamos falar da liberdade, da camisa manchada de sangue, da vida rural, dos dogmas das famílias brasileiras etc…. Um filme rico deste nos proporciona diversas possibilidades.