Poster-A-Tabacaria_ALTA.jpg

istockphoto-1150256378-1024x1024

Estreia nesta quinta-feira (5) o mais novo filme de Nikolaus Leytner, ‘A tabacaria’. Produção austríaca e alemã adaptada do Bestseller de Robert Seethaler. Certamente esse é um dos últimos filmes de Bruno Ganz, que inclusive, interpreta o próprio Sigmond Freud na trama. ‘A tabacaria‘ é a conservação do princípio austríaco + uma pitada de psicanálise dos sonhos. 

Sinopse A2 filmes: Franz é um rapaz de 17 anos de idade que chega a Viena para trabalhar como aprendiz em uma tabacaria. Ali, ele conhece Sigmund Freud, um cliente frequente. Com o passar do tempo, os dois, apesar de origens muito distintas, desenvolvem uma amizade única. Quando Franz se apaixona perdidamente pela dançarina Anezka, ele busca os conselhos de seu amigo Sigmund, que, apesar de ser um renomado psicanalista, admite que o sexo feminino é um grande mistério para ele em termos românticos. A tensão política e social aumenta dramaticamente na Áustria, piorando com a chegada dos nazistas à capital. Franz, Sigmund e Anezka se perdem no meio do caos da cidade e cada um terá uma decisão difícil para tomar: ficar ou fugir de Viena?

A Tabacaria 2.jpg

Robert Seethaler estava em um dia comum escutando uma rádio, na qual se narrava a resenha do livro ‘The Tobacconist’, logo se interessou pela história e  comprou o livro em seguida. Daí por diante você já pode imaginar correto? Virou filme! Apesar do longa ter uma perspectiva interessante da trama, o diretor não foi tão fiel as táticas de Freud, vejamos isso quando os sonhos no filme são expostos. 

A tabacaria trata-se de um romance não correspondido, a busca pelo conhecimento e principalmente o histórico de uma Áustria dominada por Hitler. Realmente não há nada de novo, mas vale a pena deixar este filme na sua lista de “cinema e psicanálise”.