dAayRh-A.jpeg

istockphoto-1150256378-1024x1024

Estreia nesta quinta-feira (10)  “Greta”, longa dirigido por Armando Praça e protagonizado por Marco Nanini (O auto da compadecida), o filme foi selecionado para a mostra Panorama do 69° – Festival de Berlim. Prepare-se para ver uma história inspirada no erotismo de Fassbinder.  

Sinopse Pandora filmes:  

Pedro (Marco Nanini), um enfermeiro homossexual de 70 anos e fervoroso fã de Greta Garbo, precisa liberar uma vaga no hospital onde trabalha para Daniela (Denise Weinberg), sua melhor amiga. Para salvar Daniela, ele decide ajudar Jean, um jovem que acaba de ser hospitalizado e algemado por ter cometido um crime. Pedro o ajuda a fugir e escondê-lo em sua própria casa até que ele se recupere e nesse período, eles se envolvem afetiva e sexualmente. Essa relação será essencial para que Pedro sobreviva à perda de Daniela, mas também gere mudanças surpreendentes em si mesmo e no modo como ele lida com a solidão.

69ArMqcg.jpeg

Lembramos que “Greta” é mais um filme que está enfrentando dificuldades com a “censura”, recentemente o longa sofreu uma rescisão de apoio financeiro com a ANCINE (Agência nacional do cinema), segundo a agência eles sofreram um contingenciamento de 24% no orçamento, o que significou um corte de 13 milhões nas despesas. 

Enfim, “Greta” narra a história de ‘Pedro’ (Marco Nanini), um senhor de idade que ainda curte uma pegada LGBT na boca do lixo de Fortaleza, ou seja; saunas, boate GLS e assim por diante…. Pedro se inspira fortemente na atriz norte-americana Gretta Star (Inclusive o filme é baseado em uma de suas obras). Pedro é enfermeiro em um hospital precário no centro da cidade, onde acaba conhecendo o personagem Jean (Démick Lopes) e por consequência o leva até sua casa, por fim… eles se envolvem em uma relação amorosa. 

“Greta” mostra ao público que é possível continuar vivendo depois dos 70 anos, que nada é impossível, e que a questão de “gênero” não implica em muita coisa.  Mas é claro que esta obra trata-se de uma melodrama que exemplifica a tristeza e a solidão do personagem Pedro. 

Além desse drama pesado, também temos a presença do “erotismo”, o sexo em cena sempre envolve os sentimentos de cada personagem, segundo o diretor Armando Praça ele se inspirou em Almodóvar e Fassbinder.  Além disso o filme possui o “nu frontal”, plano super difícil para qualquer ator! Pois envolve o sexo de maneira mais visível. 

Palmas ao diretor Armando e ao ator Marco Nanini, recomendo.